22 C
Brasília
15 de dezembro de 2018
Gato Curioso
Image default
Ciência e Tecnologia

Descobertas 12 novas luas em Júpiter

novas luas em júpiter
Imagens da nova lua Valetudo tiradas do telescópio Magalhães em maio de 2018. A lua é vista em movimento em relação ao constante fundo de estrelas distantes. Júpiter não está no campo visual, mas no canto superior esquerdo. Fonte: carnegiescience.edu

Foram descobertas doze novas luas, sendo onze luas externas normais, e uma rebelde fora do caminho no meio de um grupo de luas retrógradas. Com as recém-chegadas, Júpiter chega atualmente à 79 luas, que é um número muito alto comparado aos outros planetas do nosso sistema solar.

As 12 novas luas foram identificadas na primavera de 2017 em um processo que durou um ano levou agora à confirmação.

A trajetória até a descoberta:

Uma ótima equipe e um pouco de sorte na descoberta das novas luas

Um grupo de pesquisa liderado por Scott Sheppard de Carnegie identificou essas luas na primavera de 2017, enquanto perseguia objetos distantes no Sistema Solar, identificáveis ​​como possíveis planetas além da órbita de Plutão.

Em 2014, o mesmo grupo havia encontrado o objeto com a órbita mais distante do nosso sistema solar e foi o primeiro grupo a adivinhar a possível existência do Planet Nove (ou Planeta X): um planeta massivo, na verdade ainda desconhecido. na borda do nosso sistema solar, muito além de Plutão, o que poderia explicar a semelhança das órbitas de vários objetos pequenos e extremamente distantes.

Dave Tholen, da Universidade do Havaí, e Chad Trujillo, da Northern Arizona University, também fazem parte do grupo de pesquisa do Planet Nine.

“Júpiter estava perto de nosso campo de visão, no qual estávamos procurando por objetos muito distantes pertencentes ao nosso sistema solar. A descoberta “explica Sheppard” foi um golpe de sorte: encontramos as novas luas ao redor de Júpiter enquanto estávamos à procura de planetas na borda do sistema solar. “

Scott Sheppard

Gareth Williams, do International Astronomical Union’s Minor Planet Center, usou as observações da equipe para calcular a órbita das luas recém-descobertas. “Várias observações são necessárias para confirmar que um objeto está orbitando em torno de Júpiter”, lembra Williams. “Então todo o processo durou um ano”.

Uma das luas batizada de Valetudo pode causar uma grande colisão

Nove das novas luas fazem parte de um grupo de luas externas que orbitam na direção retrógrada, que é oposta à direção de rotação de Júpiter. Essas luas retrógradas, mais distantes, são agrupadas em pelo menos três grupos orbitais distintos e acredita-se que sejam os restos de três corpos maiores que foram separados durante colisões com asteróides, cometas ou outras luas.

As luas retrógradas recentemente descobertas levam cerca de dois anos para orbitar em torno de Júpiter. Duas das luas descobertas fazem parte de um grupo de luas mais internas que orbitam na mesma direção de rotação do planeta.

Essas luas de movimento progressivo mais internas, têm distâncias orbitais e ângulos de inclinação semelhantes, e acredita-se que sejam fragmentos de uma lua maior que se despedaçou. Essas duas luas recém-descobertas levam pouco menos de um ano para viajar em torno de Júpiter.

“Nossa outra descoberta é um objeto verdadeiramente bizarro, com uma órbita como nenhuma outra lua jupiteriana conhecida”, diz Sheppard. “É provavelmente também a menor lua de Júpiter, com menos de um quilômetro de diâmetro.”

Esta nova lua “estranha” é a mais distante e mais inclinada do seu grupo de luas e leva cerca de um ano e meio para orbitar em torno de Júpiter. Assim, diferentemente do grupo de luas de movimento progressivo mais próximo, esta estranha lua órbita em direção as luas retrógradas externas.

Como resultado, as colisões frontais entre a lua “estranha” e as luas retrógradas, que se movem em direções opostas, são muito mais prováveis ​​de ocorrer.

“É uma situação instável “enfatiza Sheppard.” Colisões frontais destroem rapidamente as luas, reduzindo-as a pó.”

É possível que os vários agrupamentos orbitais de luas que vemos hoje tenham sido formados no passado distante através desse mecanismo.

Segundo os pesquisadores essa lua pode ser um fragmento de uma lua maior

O grupo de pesquisa acha que esta pequena lua pode ser um fragmento de uma lua maior, que orbita em torno de Júpiter e que foi destruída como resultado de colisões frontais, dando origem a luas menores, incluindo a que foi encontrada.

O nome da pequena lua descoberta é Valetudo que, lembrando a mitologia romana, é a bisneta de Júpiter, deusa da saúde e da higiene.

Todas as luas de Júpiter
Luas externas de Júpiter, incluindo as 12 novas luas encontradas. A Valetudo é encontrada no grupo vermelho das luas retrógradas, mas possui movimento progressivo (contrário das demais) por isso o risco de colisões é alto. Fonte: carnegiescience.edu

 

2 comentários

Deixe um comentário